A necessidade do check-in

Por Jonathan Silva

O Grêmio Esportivo Brasil tem, ao longo da sua existência, uma relação fiel com seu torcedor. Por isso, mais uma vez, o clube se pronuncia a respeito de um tema que causa diversos debates entre os rubro-negros: o check-in. A situação do estádio Bento Freitas, em obras para dar lugar a um moderno e confortável estádio, obriga o clube a utilizar arquibancadas provisórias para acomodar um público maior de Xavantes apoiando o seu clube do coração e dando mais conforto para o acompanhamento do espetáculo que é uma partida de futebol.

Entretanto, a arquibancada provisória gera uma despesa extraordinária na receita do clube -são 24 mil reais por jogo a serem pagos – que enfrenta, como qualquer outro clube brasileiro, os obstáculos financeiros propostos pela atual situação econômica em que se encontra. Por isso, a necessidade do check-in se apresenta como uma alternativa para o clube honrar o pagamento do aluguel da arquibancada provisória, garantindo os benefícios que ela traz: maior conforto e ampliação da capacidade do estádio.

É bem verdade que o clube caminha para a construção das arquibancadas novas do Bento Freitas, porém, enquanto o sonho de um estádio reformado está sendo erguido com muito suor, a arquibancada provisória, seu custo e a necessidade de alternativas que garantam o cumprimento de todas as obrigações financeiras do clube seguirão acompanhando o dia a dia do rubro-negro. Na sua história, muitos obstáculos e dificuldades foram enfrentadas e todas encaradas com muito brio e garra, prova disso é a atual situação do Brasil no futebol, disputando a elite do futebol gaúcho, a Copa do Brasil e Série B do Brasileiro, conquistas feitas com muito suor por todos os envolvidos com as cores vermelha e preta: torcida, jogadores, comissão técnica, direção e funcionários.

O Brasil, porém, é sensível em uma situação específica: o check-in para os sócios incluídos na Modalidade Família. Por ter um custo maior de mensalidade e, consequente, valor maior no número de check-ins, a direção do GE Brasil compreende o pleito da nação rubro-negra e somente o titular da modalidade pagará o check-in, o que ficará isento para seus dependentes. O associado que já fez seu check-in e pagou a todos os dependentes terá crédito especial no valor pago para ser utilizado nos check-ins dos demais jogos.

Jamais o Brasil se furtou ou se furtará de debater, de ouvir e de procurar, incansavelmente, soluções para os pleitos apresentados pela Maior e Mais Fiel, motivo pelo qual se trabalha diariamente, garantindo um time competitivo, vitorioso e evoluindo, não só dentro do campo, mas modernizando e caminhando para termos um clube modelo, também, fora de campo. Avante!