Por um detalhe

Por Gustavo Pereira

A torcida rubro-negra lotou o estádio Bento Freitas. Em campo, o Brasil teve bom desempenho diante do líder do Campeonato Gaúcho. Mas, por um detalhe, o resultado é amargo. Na noite deste domingo (26), pela 10ª rodada do estadual, o Xavante abriu o placar com gol de Marcinho. Nos acréscimos, Júlio Santos empatou para o Novo Hamburgo: 1 a 1.

Com isso, o Brasil chega na última jornada do Gauchão entre o céu e o inferno. Em caso de triunfo contra o Passo Fundo, na quarta (29), às 21h45, no estádio Vermelhão da Serra, a equipe de Rogério Zimmermann garante a classificação aos mata-matas. Porém, se perder, o perigo do rebaixamento passa a existir.

O primeiro tempo não teve gols, mas foi bastante movimentado na Baixada. O Brasil chegou ao ataque perigosamente pela primeira vez aos dois minutos, quando Marcinho escapou pela direita e cruzou. Juninho tinha tudo para abrir o placar, mas a defesa anilada afastou na hora H. Aos sete, em confusão na pequena área rubro-negra, os visitantes responderam. Após desvio de Conrado, Eduardo Martini defendeu quase em cima da linha.

Com 13 minutos no relógio, a dobradinha Teco-Marlon já dava sinais do que viria pela frente no lado esquerdo Xavante. O zagueiro lançou o camisa 6, que mandou rasteiro na área. Papa conseguiu desviar e o goleiro Matheus Cavichioli evitou o gol. Depois de período equilibrado e com vantagem dos sistemas defensivos, os 15 minutos finais foram eletrizantes.

Aos 29, Marlon recebeu de Juninho após boa troca de passes vermelha e preta, e arriscou para fora. Mostrando porque lidera o campeonato, o Novo Hamburgo ameaçou aos 35, quando Preto pegou rebote e arrematou por cima do gol, de fora da área. Em seguida, Teco voltou a acionar Marlon, e o lateral achou Juninho na área. O camisa 10 desviou e a redonda tocou no lado externo da rede alviazul.

Aos 40, o maior susto Xavante: João Paulo achou Assis, e o jogador carimbou a trave de Eduardo Martini. A melhor ocasião do Brasil também chegou pouco antes do intervalo. Foi aos 43: Marlon cobrou falta à meia altura e Leandro Camilo desviou de leve, fazendo a bola tirar tinta da trave esquerda dos visitantes. Neste lance, inclusive, o zagueiro rubro-negro se lesionou e precisou ser substituído por Evaldo.

Na volta dos vestiários, o time de Rogério Zimmermann veio com tudo. Foram minutos iniciais de maior posse de bola e pressão Xavante no campo adversário. Até que, aos 11, Juninho tabelou com Marcinho e ficou com a sobra. Na cara do goleiro, o atacante acabou finalizando com muita força. E aos 18, o tão necessário gol aconteceu. Éder Sciola cobrou lateral, Gustavo Papa desviou de cabeça e Marcinho, na pequena área, apenas empurrou para as redes: 1 a 0.

Logo na sequência do gol que abriu o placar, Marlon bateu falta e Teco esteve muito perto de ampliar. Por um detalhe, o defensor não alcançou a bola na pequena área. Mais tarde, o Nóia cresceu e apertou o Brasil. Aos 26, Juninho evitou a saída de bola e rolou para trás. Lucas Santos bateu e Teco cortou de maneira providencial. Na sequência do ataque, o zagueiro Júlio Santos concluiu de dentro da área e parou em um Eduardo Martini seguro como de costume.

Quando tudo se encaminhava para uma vitória fundamental, Júlio Santos desviou na pequena área do Brasil e deixou tudo igual: 1 a 1. Agora, é hora de focar na batalha mais decisiva do ano, diante do Passo Fundo, fora de casa.

Ficha técnica:

Brasil: Eduardo Martini; Éder Sciola, Leandro Camilo (Evaldo), Teco e Marlon; Leandro Leite, João Afonso, Marcinho, Juninho (Galiardo) e Nem; Gustavo Papa (Rodrigo Silva). Técnico: Rogério Zimmermann.

Novo Hamburgo: Matheus Cavichioli; Renan, Júlio Santos, Pablo e Assis; Amaral, Tiago Ott (Jeff Silva), Preto e Juninho; Conrado (Lucas Santos) e João Paulo (Jefferson Assis). Técnico: Beto Campos.

Gols: Marcinho, aos 18min2T (B) e Júlio Santos, aos 45min2T (NH).

Cartões amarelos: Nem, Gustavo Papa e Evaldo (B); Renan e Júlio Santos (NH).

 

Brasil 1 x 1 Novo Hamburgo – 10ª Rodada – Gauchão 2017