Equação fatal

Por Gustavo Pereira

Não havia como dar errado. Unindo uma presença incrível da Maior e Mais Fiel, com apoio incessante durante toda a partida, e uma grande atuação dos guerreiros em campo, o Brasil conquistou uma vitória que era inadiável. Na noite desta terça-feira (7), pela 34ª rodada da Série B, a equipe rubro-negra venceu o Paraná por 2 a 0, com dois gols marcados por Rafinha, no segundo tempo, e agora respira mais aliviada na competição.

Buscando o principal objetivo da temporada, a permanência entre os 40 maiores clubes do país, o Xavante agora soma 42 pontos e é 13º colocado. Ainda restam quatro compromissos até o final do ano. O próximo deles é neste sábado (11), às 19h, no estádio da Curuzu, em Belém, diante do Paysandu – um dos adversários na briga pela manutenção na Série B.

Desde o começo da tarde, a união entre a Maior e Mais Fiel e o Brasil já dava mostras de que a noite seria feliz na Baixada. Nas redes sociais, a torcida vermelha e preta usou maciçamente a hashtag #SempreAoTeuLado. Foram muitas mensagens, que quando a bola rolou, foram transformadas em incentivo nas arquibancadas – e qualidade, raça e determinação dentro das quatro linhas.

Rafinha fez os dois gols Xavantes na partida. Foto: Carlos Insaurriaga
Rafinha fez os dois gols Xavantes na partida. Foto: Carlos Insaurriaga

Recebendo um forte rival, que luta por uma vaga na elite nacional da próxima temporada, os comandados do técnico Clemer dominaram do início ao fim. Quando o árbitro mandou rolar a bola, já se via que o duelo era fundamental para os dois lados. A primeira chance de gol surgiu em cobrança de falta dele: Rafinha. Eram sete minutos quando o camisa 10, que viria a ser o protagonista do confronto, mandou colocado e fez Richard defender de manchete após a redonda quicar na pequena área.

Apostando na velocidade dos homens de frente nos contragolpes, o Paraná tentou ameaçar em batida do centroavante Alemão, aos 14 minutos. Bem posicionado, Leandro Camilo impediu que Marcelo Pitol precisasse intervir. As bolas paradas, até o final da primeira metade de jogo, seriam a única forma de as duas equipes levarem perigo às defesas adversárias – que se sobressaíram em praticamente todos os lances. Aos 43, Teco até marcou, mas a arbitragem assinalou falta do zagueiro antes da conclusão.

Na volta dos vestiários, aos sete, Renatinho driblou pela esquerda e bateu cruzado. Ninguém desviou e a bola passou por toda a extensão da área assustando os quase 10 mil Xavantes presentes no Bento Freitas. Os paranaenses já haviam até feito uma modificação quando, aos 11 minutos, a Maior e Mais Fiel finalmente pode explodir de alegria – e alívio. Em grande jogada de Marcinho pela direita, Rafinha recebeu passe açucarado de frente para as traves, apenas empurrou de perna esquerda e correu para o abraço: 1 a 0!

O gol foi a deixa para que o panorama da partida mudasse completamente. Mesmo assim, o Paraná, precisando pontuar, ameaçou. Eram 23 minutos quando Brock, ex-zagueiro Xavante, cobrou falta frontal com muita força. Bem colocado, Marcelo Pitol espalmou e evitou o empate. No lance seguinte, Itaqui ficou com sobra na intermediária e soltou uma bomba. No susto, Richard fez bela defesa.

Estava escrito que o segundo gol do Brasil era questão de tempo. No escanteio gerado pela pancada de Itaqui, o próprio meio-campista levantou na área. Lincom se desprendeu do zagueiro, cabeceou no canto e Richard fez um milagre. No rebote, Rafinha mostrou ter estrela e, sozinho, mandou para o fundo do barbante: 2 a 0! Foi o segundo da noite do meia, que dedicou os dois tentos à esposa e à filha, que nasceu no último domingo e ainda não conheceu o pai.

Na reta final, Clemer fez três substituições: Marcinho, Misael (com um corte profundo na canela) e Lincom deram lugar a Cassiano, Calyson e João Afonso. O Paraná só teve uma oportunidade para descontar. Em lance confuso na área aos 39 minutos, Zezinho arrematou e a bola não entrou. Desde cedo, tudo indicava um triunfo. A união estádio lotado, incentivo da Maior e Mais Fiel do primeiro ao último lance e uma atuação consistente da equipe leva o Brasil aos 42 pontos e uma situação um pouco mais tranquila. Mas agora é hora de continuar com o mesmo ímpeto para, no sábado, conquistar novos pontos em Belém, diante do Paysandu. #SempreAoTeuLado

Ficha técnica:

Brasil: Marcelo Pitol; Éder Sciola, Leandro Camilo, Teco e Marlon; Leandro Leite, Itaqui, Marcinho (Cassiano), Rafinha e Misael (Calyson); Lincom (João Afonso). Técnico: Clemer.

Paraná: Richard; Cristovam, Iago Maidana, Brock e Igor (Rayan); Gabriel Dias, Vinícius Kiss, Renatinho, João Pedro (Zezinho) e Robson; Alemão (Vitor Feijão). Técnico: Matheus Costa.

Gols: Rafinha, aos 11 e aos 25min2T (B).

Cartões amarelos: Éder Sciola, Leandro Camilo, Marlon, Rafinha e Marcinho (B); Igor, Gabriel Dias e Renatinho (P).

Brasil 2 x 0 Paraná – 34ª Rodada – Fotos Carlos Insaurriaga e Jonathan Silva

aIMG_6137
aIMG_6200
aIMG_6218
a_MG_9991
aIMG_6268
aIMG_6317
aIMG_6302
aIMG_6227
aIMG_6295
aIMG_6341