Um ciclo vitorioso

Por Jonathan Silva

Se o jogo contra o Criciúma marcou o fim da Série B 2017 para o Brasil e a despedida da carreira de alguns jogadores, a partida marcou, também, o encerramento de um ciclo dentro do rubro-negro. O executivo do clube, Armando Desessards, anunciou o seu desligamento da instituição, após mais de 2 anos de intensos – e  exitosos – trabalhos prestados ao Xavante. Uma era que se encerra deixando um legado marcado na história centenária do Brasil.

Armando não era um novo conhecido, no final de 2015, quando chegou ao Bento Freitas. Já havia trabalhado outrora no clube e conhecia, bem, como funciona o rubro-negro. Com a experiência de quem já esteve na casamata e agora mostra toda capacidade de gerenciamento, ele participou diretamente do momento em que o Brasil cravou seus pés na estrada do crescimento e expansão da sua estrutura e marca.

Sob a batuta dele, o clube garantiu a permanência na Série B pelo terceiro ano consecutivo. Mas engana-se quem pensa que o resultado dentro do campo, o qual teve participação direta dele nos bastidores, é o principal feito. A criação do Centro de Formação de Atletas, o CFA Xavante, local onde abriga as categorias de base do clube, reativadas a partir de um intenso e permanente trabalho coordenado pelo Armando Desessards, já gera frutos ao Brasil. A incansável busca pela estruturação do departamento de futebol de base proporcionou que, já no seu primeiro ano de retorno, as categorias de base do clube foram competitivas nas competições disputadas, entre elas, a Copa do Brasil sub17. Referência na estrutura e metodologia de trabalho, o CFA Xavante, já no seu primeiro ano, abriga desde as escolinhas até a categoria sub20.

Outra conquista importante foi o aproveitamento do CT da Sanga Funda. Demanda – e sonho – antigo dos rubro-negros, o Brasil hoje conta com um campo de treinamento. Além de proporcionar um espaço específico para treinos, o CT proporciona um melhor aproveitamento e manutenção do gramado do Bento Freitas. A ampliação do número de campos e a implantação da estrutura física no local já foram iniciadas.

Sem dúvida, o clube, também, cresceu na sua parte administrativa. A evolução do rubro-negro nesta área proporciona que o clube cresça de forma muito mais organizada, otimizando a aplicação dos recursos do clube. No legado deixado nesta passagem do Armando Desessards pelo clube, não há como deixar de reconhecer o fortalecimento da marca G.E. Brasil, alçando patamares mais fortes a nível nacional, prova disso é a aproximação com marcas como a Caixa, a Topper e a participação na Primeira Liga.

Assim, o clube deseja toda sorte ao Armando Desessards na sequência da sua carreira, valorizando cada feito, cada conquista e cada intenso trabalho que proporciona, sem dúvidas alguma, estar em um patamar de organização e crescimento muito maior do que em 2015, quando da sua chegada. Avante, Armando!