Nada justo

Por Jonathan Silva

Foi um jogo em que o placar não traduz a história dos noventa minutos. Jogando de forma equilibrada, madura e com um bom futebol, o Brasil não conseguiu marcar gols e sofreu dois para o Vasco da Gama. A partida, jogada neste sábado (9), em São Januário, no Rio de Janeiro, foi marcada por uma atuação um tanto atrapalhada da arbitragem e bastante cera pelo lado vascaíno. Agora, o Brasil volta a jogar em casa, no estádio Bento Freitas. O adversário será o Vila Nova, no sábado (16). às 16h.

O adversário era um dos grandes do futebol nacional. Multicampeão, o Vasco da Gama é a grife desta Série B. Porém, com a bola rolando, tanta badalação não se traduziu em superioridade, muito pelo contrário. Os vascaínos enfrentaram um aguerrido, forte e muito batalhador Brasil. O time do técnico Rogério Zimmermann foi muito bem na capital carioca e conviveu com um adversário matando tempo, o que valoriza a atuação rubro-negra.

Com a bola rolando, a qualidade de Nenê, aos 9, fez o Vasco abrir o placar. Thales disputou no alto com Teco e o camisa 10 vascaíno aproveitou a sobra, invadiu a área e abriu o placar. Aos 11, Felipe Garcia acionou Ramon, que venceu na velocidade Júlio Cesar e bateu para defesa de Jordi. Aos 15, Diogo Oliveira bateu por cima do gol do Vasco.

Quando o relógio marcava 20 minutos, um lance que moveu todas as sensações possíveis. Nem lançou Weldinho, que correu, se esforçou e cruzou para a área. Felipe Garcia desviou, a bola bateu em Rodrigo e Luan foi tentar afastar, mas quase marcou contra. A bola explodiu na trave esquerda de Jordi e sobrou para Ramon, livre, de frente pro gol. O atacante rubro-negro dominou a bola e quando ia marcar o gol, foi interrompido, em cima da linha, pelo zagueiro Luan.

Torcida Xavante se fez presente em grande número no São Januário, no Rio de Janeiro. Foto: Carlos Insaurriaga
Torcida Xavante se fez presente em grande número no São Januário, no Rio de Janeiro. Foto: Carlos Insaurriaga

Marlon, aos 42, em falta frontal, chutou forte a bola explodiu na barreira, na sobra, Washington, na meia lua, bateu, a bola novamente explodiu na zaga. O rebote ficou com Teco, que bateu cruzado e viu a bola sair pelo lado do gol vascaíno. Aos 48, no último lance de perigo da primeira etapa, Felipe Garcia partiu em velocidade, foi vencendo os marcadores e tocou, na entrada da área, para Ramon. O camisa 9 bateu forte, Jordi defendeu. No rebote, Ramon tentou, a zaga desviou e Diogo Oliveira, em novo rebote, bateu para novamente a zaga vascaína desviar.

Na etapa final, aos 5, Marlon cobrou falta e Felipe Garcia desviou de cabeça. A bola passou perto da trave de Jordi. No minuto seguinte, a única mudança foi de quem partiu o cruzamento. Desta vez, Diogo Oliveira colocou na cabeça de Felipe Garcia, que cabeceou para fora. Aos 9, Diogo Oliveira cruzou, a bola passou por todos na área e todo mundo assistiu a pique de Felipe Garcia, que com muita raça, evitou a saída da bola e deixou para Marlon cruza. Ramon escorou e Leandro Leite bateu para fora.

Aos 18, depois de muitas faltas marcadas de forma equivocada ou de faltas claras não marcadas, o árbitro Alisson Furtado quase cometeu uma injustiça tremenda. Nenê cruzou, a bola desviou em Washington e o árbitro marcou pênalti para o Vasco. O assistente Natal Júnior chamou o comandante do apito, bateu no peito e garantiu: não foi pênalti. Alisson voltou da decisão e anulou a marcação da penalidade. Aos 27, em cobrança de falta, Luan, na segunda trave, desviou para o gol e fez o segundo.

Weldinho cobrou escanteio, aos 37, e Nena, na pequena área, desviou de cabeça. A bola beliscou a trave de Jordi e se perdeu pela linha de fundo. Aos 40, Marlon cobrou escanteio e Leandro Camilo desviou de cabeça para fora.

Agora, o pensamento rubro-negro é todo para o Bento Freitas. No próximo sábado (16), às 16h, depois de muita luta, o time do técnico Rogério Zimmermann volta a jogar em casa e, certamente, com o apoio da Maior e Mais Fiel. O adversário é o Vila Nova. É hora de, mais uma vez, lotar a Baixada e apoiar o Brasil em buscar de mais uma vitória.

Ficha técnica:

Brasil: Luiz Muller, Weldinho, Leandro Camilo, Teco, Marlon, Leandro Leite, Washington, Nem (Clebson), Felipe Garcia, Diogo Oliveira (Nathan) e Ramon (Nena). Técnico: Rogério Zimmermann.

Vasco: Jordi, Madson, Rodrigo, Luan, Julio César, Marcelo Mattos, Henrique (Yago Pikachu), Andrezinho (Diguinho), Nenê, Caio Monteiro (William) e Thales. Técnico: Zinho.

Gols: Nenê aos 9min1T e Luan aos 27min2T (V).

Cartões Amarelos: Weldinho, Marlon e Washington (B); Madson, Rodrigo, Andrezinho e Nenê (V).

 

Vasco 2 x 0 Brasil – 15ª Rodada – Brasileiro Série B – Fotos Carlos Insaurriaga

aIMG_0733
aIMG_0719
aIMG_0626
aIMG_0738
aIMG_0751
aIMG_0800